Séries

Titãs, a nova série de super-heróis da DC

Entrei num consenso aqui em casa, conversando com meu namorado, de que a DC já fez muitas lambanças com seus personagens mas parece que há, finalmente, uma esperança de dias melhores.

DISCLAIMER
Este texto pode conter spoilers da série Titãs, adaptação da Netflix para os quadrinhos da DC. Se você não gosta de spoiler pode ouvir uma musiquinha.

A DC tem diversas séries em andamento, algumas até fazendo cross entre si, como Arrow, The Flash e Super Girl, todas do canal de TV americano CW. Já Titãs chega ao público pela Netflix e não faz parte do mesmo universo que já está na TV, pelo menos por enquanto.

A diferença entre quadrinhos, adaptação de desenho animado (Teen Titãs e Teen Titãs Go) é brutal, seja na aparência dos personagens – o Live Action trouxe uma caracterização sensacional, resolvendo problemas como “precisamos mesmo pintar uma pessoa de laranja e outra de verde para gravar todos os episódios?” e deixando-os mais verossímeis para o olhar do mundo em que estão, afinal, a gente não cruza com gente verde e laranja por aí. Entendi também como outra diferença grande entre todos os universos – quadrinhos, animação e até o Arrowverso da CW – são as muitas cenas de violência explícita, com sangue até demais, acarretando não só a classificação indicativa de 16 anos no serviço de streaming, como também uma nova perspectiva do universo DC que, pelo menos eu não via há muito tempo, mais sombrio e menos cartunesco.

A adaptação de Teen Titãs e, posteriormente, Teen Titãs Go, pela Cartoon Network criou uma expectativa até nos fãs adultos das HQs dos heróis, afinal, independente do plano de fundo dos personagens, o que se via era uma ambientação claramente infantil. Já nos primeiros minutos do piloto fica bem claro que não se trata de um live action da animação e sim de uma série baseada principalmente na HQ, que deixa bem claro desde seu início o intuito de transformação do ambiente e dos personagens mas preservando suas histórias originais sempre que possível.

Achei que a série bebe um pouco na fonte do que foi a trilogia Batman do Nolan, principalmente na ambientação e na fotografia, essa segunda ligada intimamente com o desenrolar dos personagens na trama e suas emoções. A série também tem momentos mais descontraídos mas muito longe do humor Marvel, com piadinhas entre os personagens. Se vê muitos conflitos entre os personagens, mas há uma ideia de maturidade em cada um deles, salvo quando há aqueles momentos impulsivos dos personagens mais jovens. A idade dos personagens é também essencial dentro da trama, já que há conflitos internos e externos ligados ao seu amadurecimento ao longo dos episódios, incluindo o conhecimento de seus poderes.

Titãs é uma série de super-heróis mas não é para crianças.

Os personagens secundários também foram bem trabalhados e todos os episódios contribuem de alguma maneira para a narrativa, ainda que pareçam mais “parados” ou que pareçam conteúdos que não agregam para o contexto geral, há sempre um laço importante para a teia da história e isso deixa a temporada bem interessante, especialmente para quem não conhece o background das HQs.

Gostei muito da primeira temporada apesar de ter achado o cliffhanger para os próximos capítulos um tanto quanto exagerado, ainda que a segunda temporada já tenha sido confirmada. Mesmo assim, a ideia final foi importante para mostrar como o vilão vai se desenvolver e, principalmente, como ele precisa ser combatido. No fim, parece que esse final foi um esforço maior que o necessário, que gera expectativa mas só será desenrolado ano que vem, para o pesar dos fãs.

Ah: tem uma cena pós-créditos no último episódio, não esqueça de assistir!


Este blog é importante para mim e eu adoro receber comentários sobre o conteúdo postado, lembre-se de deixar um oi! Se você gosta do que eu escrevo, também pode compartilhar este conteúdo com seus amigos!

Fotos: reprodução Netflix

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 5
Total de Votos: 5
Titãs, a nova série de super-heróis da DC

Um docinho de pessoa, até que se prove o contrário.

2 Comments

  • Clayci Oliveira

    Quando saiu a série, não sabia que já estava no catálogo, vi meus sobrinhos de 9 anos assistindo e chamou a minha atenção. Já pulei e tirei o controle da mão dele hahahaha. Realmente acaba atraindo a atenção da criança, até porque na Netflix tem a animação deles.
    Eu gostei bastante do que vi! Não está fiel aos quadrinhos, mas entendo o formato e gostei do que fizeram. Estou bem ansiosa pela continuação <3

Deixe uma resposta para Carol Mancini Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *